Monday, July 25, 2005

    Música e Percepção

    É interessante como algumas músicas que gostamos tenham um significado, uma mensagem além do esperado quando as decodificamos. No caso, aqui, em inglês, tive um daqueles momentos epifanicos quando me deparei com a música "Everbody Hurts" da banda R.E.M , recentemente, e pensei que deveria compartilhar desta descoberta com vocês.

    .

    Ouvi a música , que tem um rítmo lindíssimo , depois, tentei saber o que dizia a letra em português, então me dei conta que essa seria mais uma das minhas preferidas , pois o som e a essência, a intenção da música, acontecia em harmonia, toante, dando uma aspecto mágico a composição. Depois, passei a dar mais atenção a esses aspectos que deixamos passar imperceptíveis, então noto que isso acontece quando ouço "My Way" de Paul Anka, na voz de Frank Sinatra, "Solitaire" de Neil Sedaka, e muitas outras. Agora, há quem diga que a música em língua estrangeira, quando, traduzidas "perdem a graça"....

    .

    A partir daí, percebi também que não é só em outra língua que somos levados a adorar a balada da música sem se dar conta da mensagem que ela nos quer passar , digo no plural porque é um sentimento universal. Posso citar como exemplo , aqui, a música "O meu Guri" de Chico Buarque, podem até dizer que é óbvio , mas não havia percebido a mensagem da música, que adorava a baladinha, o rítmo, escutava trocentas vezes e, não me atentava a letra, e quando isso aconteceu, vi que a combinação entre som e letra resultam na obra em sua completude passando a ser ainda mais significativa ao ouvirmos.

    .

    Essa minha observação pode ser amadora e infantil para muitos, mas o que quero deixar aqui é a mensagem de que perdemos muito da música quando deixamos de prestar atenção na letra, na estrutura profunda, no que está explícito, mas , para nós, muitas vezes parece estar implícito.E, fazendo isso, certamente, aquele cdzinho que ouvimos e ouvimos a ponto de nossos vizinhos pensarem que só temos ele terá, ainda mais, motivos para ser tocado e retocado.E, além disso, saimos do senso comum de dizer por dizer que gostamos de tal compositor, cantor etc., e fazemos valer a condição de obras-primas da nossa MPB e a genialidade de mestres como Cartola, Adoniran Barbosa, Dorival Caymmi, Djavan, Milton Nascimento, Chico Buarque, Maria Bethânia, Ivone Lara, Alcione, Paulinho da Viola , Arlindo Cruz , Sombrinha, Jorge Aragão, João Nogueira etc., etc.

    .

    Em breve darei minhas impressões sobre o texto poético, que, a meu ver, tem uma tênue diferença entre a composição musical.

    3 comments:

    Anonymous said...

    Olá, tudo bem?

    Acabei de ver os seus posts e achei este sobre Música e Poesia bem interessante... Não apenas pelo fato de vc louvar nomes como R.E.M. e Chico Buarque (que adoro!), mas por você ter citado outros que são maravilhosos como a Bethânia, o Caymmi e o Cartola! Outro motivo que me atraiu foi o fato de que minha Dissertação de Mestrado tematiza este diálogo intenso entre Música e Palavra...

    Eu também adoro as Literaturas Africanas de Língua Portuguesa, tive o prazer de estudá-las na minha Graduação.... Eu adoro o José Craveirinha, o Costa Alegre, o Tenreiro e o Mia Couto... Legal vc divulgar estas produções por aqui!

    Abraço grande, Vinícius Rangel

    Anonymous said...

    BOAS OBERVAÇÕES, MELQUISEDEC!

    Viviane Villas Bôas said...

    Olá!!
    Em alguma comunidade (não me lembro qual) encontrei o seu perfil no orkut e acabei "aportando" aqui.
    Gostei de lá e daqui. E de ambos os "lugares" pelo gosto pela literatura e pela música (uma paixão).
    Reparei inclusive o detalhe do show dos Stones (de quem sou fã).
    Bom...então parabéns pelo blog e quando quiser pode me "visitar" também lá no orkut ou no meu blog:
    wwww.vivivillas.blog.uol.com.br

    Um abraço,
    Viviane Villas Bôas